ATMP

Também começou a retirada do restante dos resíduos oleosos, objetos flutuantes e de contaminantes a bordo do Stellar Banner

Após três meses e 13 dias encalhado na Baía de São Marcos, foi decidido o destino do navio Stellar Banner: será afundado a 150 km da costa maranhense. O termo náutico utilizado para esse procedimento é alijado.

A equipe de salvatagem já deu início à preparação do navio para o afundamento. Também começou a retirada do restante dos resíduos oleosos, objetos flutuantes e de contaminantes a bordo do Stellar Banner.

A organização International Tanker Owners Polution Federation (ITOPF), contratada pela armadora Polaris Shipping, acompanha as atividades para avaliar as boas práticas relacionadas às questões ambientais envolvidas no processo de alijamento.

O Anchor Handling Tug Supply (AHTS) Bear, o Oil Spill Response Vessel (OSRV) Água
Marinha, o Offshore Support Vessel (OSV) Normand Installer e o Navio-Patrulha “Guanabara” permanecem na local para monitorar todo o processo de afundamento da embarcação, para evitar eventuais impactos ambientais.

Análise da Marinha

A Marinha do Brasil, por meio do Comando do 4º Distrito Naval (Com4ºDN), analisou os relatórios da armadora Polaris Shipping, proprietária do navio Stellar Banner, sobre as inspeções estruturais realizadas por mergulhadores e de um veículo submarino operado remotamente (Remotely operated underwater vehicle – ROV), apontando que o graneleiro deve ser afundado em águas profundas, a cerca de 150 km da costa maranhense.

Na última quarta-feira (3), o navio mercante de bandeira das Ilhas Marshall tinha sido rebocado para águas mais profundas, onde essas análises seriam feitas. A embarcação foi rebocada após reflutuar do local onde tinha encalhado.

O navio Stellar Banner encalhou no dia 24 de fevereiro, após uma manobra nas proximidades da boia 1, na Baía de Sao Marcos. Foram removidos cerca de 145 mil toneladas de minério de ferro e 3,9 mil metros cúbicos de óleo da embarcação.